sábado, 3 de dezembro de 2011

O encontro com Maria..

Ca esto eu passado algum tempo para relatar uma aventura qu tive com Maria (nome ficticio), estava eu a consultar os mails,  a lançar alguns anuncios na net quando me reparo com o mail de Maria.
Ao abrir o meu espanto pois tinha a foto de uma mulher lindissima onde me pedia informações sobre como estar na minha companhia, e dizia que a foto era dela, eu duvidei de inicio (desculpa mas eu disse-te pessoalmente!), estava perante uma mulher na casa dos trinta bem apresentada e linda,mas para variar carente de carinho e amor.
Respondi-lhe onde lhe disse todas as condiçoes e como funcionava o nosso encontro caso ela quisesse. Passado alguns dias recebo outro mail onde me faz mais algumas questoes e me diz que o marido trabalhava no exercito e não lhe ligava nenhuma, e não tinha tempo para ela...
Lá fomos falando e acabamos por marcar um jantar, onde Maria escolheu o local e depois ajustamos o dia, sim porque eu tenho outros trabalhos, faço isto mesmo porque gosto de tratar bem as mulheres e gosto que elas se sintam confortaveis na minha companhia.
No dia combinado, recebo uma mensagem  a meio da manha da Maria onde dizia nome do restaurante e hora junto com o numero do mesmo, eu liguei para o restaurante (sim porque ainda era uma distancia razoavel e não queria ir dar um passeio turistico aquela hora!) e confirmei que realmente exestia a marcação.
Visto que nesse dia estava de folga dos meus trabalhos, foi prepositado, e la vou eu ate a minha cabeleireira tratar da imagem.
De volta a casa um banho relaxante e passar creme de corpo com cheiro suave e doce, vestir um fato e uma camisa,  dar uns retoques finais na imagem, um pouco de prefumee uala... Estava pronto quando me lembrei que tinha de passar na florista.
E la vou eu a caminho do local combinado para jantar, chegado ao local dez minutos antes, como qualquer cavalheiro não se faz esperar uma senhora, dirijo-me a recepção e sou encaminhado para uma mesa no fundo da sala com pouca luminusidade, coloco a rosa branca (sinal de esperança), ao lado do meu prato e aguardo.
Passado uns quinze minutos entra Maria, uma mulher charmosa, não muito alta, com um casaco ate aos joelhos, um vestido tipo cai-cai justo a defenir o as curvas do seu corpo, lindo e cabelo ondulado,e um sorriso timo no rosto inicialmente nem pensei que fosse ela, ate que a vi dirigir-se para a minha mesa e aí sim acreditei que era aquela mulher que eu tinha visto na foto do mail mas muito mais bonita ao vivo.
Levantei-me quando chgou junto da mesa, comprimentei-a e entreguei-lhe a rosa, como gesto de quebrar o gelo e forma de carinho (já não recbia rosas á anos! Como é possivel?)
Iniciamos o jantar onde fomos falando da vida dela onde me contou algumas confidencias e me disse o porque de me ter escolhido. Eu nem dava conta das horas passar pois tinha uma mulher doce e sedutora a minha frente eu quase me derreti para ela, mas claro sempre mantive o nivel e soube separar as coisas ( á que ser profissional), elogios para um e para outro, trocas de olhares...
Final do jantar bem saboroso e com um bom vinho tinto tomado e já no café, e em boa companhia, com minha mao sobre a dela olha-me fixamente e procura se eu tenho o resto da noite disponivel, como tinha tirado a noite para ela disse que sim, e que ideia estava ela a ter. E ela responde: _Quero passar a noite contigo!
Como me estava a sentir bem ali e tinha existido quimica entre nós, não pensei duas veses e acitei. Pedimos a conta (onde ela pagou, tal como acordado), e la fomos  nos ate ao hotel, pelo caminho fui quebrando mais um pouco o gelo e la fui deslizando minhas maos por seu corpo enquanto ela conduzia e falando algumas banalidades…
Chegados ao Hotel, já estava a reserva feita subimos ao quarto e no elevador la provoquei mais um pouco aquela mulher linda que estava ali comigo, entramos no quarto musica ambiente e reduzimos a intensidade da luz, enquanto ela foi a casa de banho eu vi a janela apreciar a vista em seguida vou eu e quando chego de novo ao quarto deparo-me com Maria olhando a rua, eu aproximo-me lentamente, passo pela mesa junto da entrada e levo a rosa comigo começo por lhe beijar o pescoço e ela larga um pequeno suspiro (aquele suspiro e como se fosse o apito para o inicio de um jogo, não de futebol mas de…), passo as petalas suaves da rosa em seu rosto e peito, coloco as suas maos na janela enquanto as minhas maos com a rosa deslizavam suavemente por o corpo de Maria, e passado alguns minutos de beijos e trajetorias irregulares das minhas maos la começou a roupa a desaparecer dos corpos e a aparecer no chão do quarto, e já podem imaginar o que se passou daqui para a frente foram cinco horas de sedução e prazer, ate estar-mos ambos exaustos e transpirados, mas ali continuamos juntos a fazer caricias un ao outro, no final ainda fiz uma massagem a Maria onde ela adormeceu que nem um anjo, e eu ali fiquei ate de manha a olhar aquela beleza que simplesmente so necessita de ser acarinhada e bem tratada,tal como uma flor, pois pelo que falamos deu para entender que e uma excelente dona de casa, uma magnifica mae, mas para o marido e so um trofeo que ele gosta de exibir na rua para os outros e para os amigos, e ter ali em casa como ama e empregada domestica ( mas isto não é ser Homem).
Acabei por adormecer, e quando acordei já não estava ali Maria, so tinha um envelope na mesa de cabeceira com o que tinhamos combinado e mais um extra (Obrigado Maria!), lá me levantei a correr pois já era tarde e eu tinha de ir trabalhar naquele dia.
Aqui fica uma das minhas aventuras e mais virao de certeza….

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Uma aventura que prometi escrever..

Nada me excita mais do que uma mulher tímida.
Desde a escola era assim. As tímidas eram menos desejadas pelos outros homens, mais espertos e aventureiros.
Certa noite, estava eu no msn, solicitam-me um pedido de amizade, como sempre faço aceitei. Era uma mulher muito tímida, trocamos algumas mensagens para quebrar o gelo e algumas fotos, ate que ela me diz que esta sozinha e não sabe o que é ser desejada. Mais umas mensagens que trocamos até que ela me questionou como poderíamos estar os dois.
Questionei, porque queria isso pois era uma mulher linda não necessitaria de pagar para isso.
Ela respondeu: “Os garanhões estão literalmente riscados da minha lista. Já estive com alguns, mas sempre me decepcionaram. Fazem todo aquele jogo de sedução, mas depois, quando acham que já me têm, esquecem de todas as boas maneiras iniciais.”


A Ana (nome fictício) é uma mulher linda, já a tinha visto nas fotos mas quando cheguei ao hotel e ela me abre a porta do quarto, com um vestido curto, e justo, preto onde seus caracóis loiros pousavam, fiquei encantado. Era um anjo de mulher um sorriso tímido, mas ao mesmo tempo sedento de desejo. Cumprimentamo-nos com dois beijos e disse que iria tomar um banho, Ela aguardou e quando saio do banho lá estava ela a olhar para a cidade pela janela, eu aproximei-me de toalha na cintura, e coloquei minhas mãos em seus ombros, senti que ela estava bastante nervosa, seu coração sentia-se à distância. Dei-lhe um beijo no pescoço muito suave e fui preparar um whisky, para ela descontrair um pouco.


Ela deu um gole no whisky fazendo careta. Não parecia nada gostar de álcool.
Coloquei a TV num canal de música bem calma, e aí ela começou a soltar-se e a falar… Não tocou mais no whisky!
Sentei-me no sofá e disse que nada aconteceria sem ser da vontade dos dois, ela sorriu.

- Tens medo de mim?
- Não, não é isso.
- Então é o quê?
- Na verdade… nunca imaginei que estaria com um homem como Tu.
- Então não imagines mais nada… Deixa acontecer…
- Não sei o que fazer.
- Não precisas… Deixa que tudo acontecerá.

Disse para ela se deitar na cama de bruços, e aí aproximei-me, comecei a massajar seu pescoço, muito suavemente, e desci as mãos ate ao fecho do vestido, e muito lentamente abri o mesmo até ao fundo… Fui buscar o óleo que levava no casaco e iniciei uma massagem muito suave nas suas costas, até que ela pede para tirar o vestido e fica só em tanga, que corpo esta mulher tem, invejável para muitas modelos, acreditem.

Ana, volta a deitar-se e eu continuo a passar o óleo em suas costas, muito suavemente, muito lentamente fui descendo até percorrer as pernas, primeiro uma, depois outra, volto a subir até as costas, pescoço e dei um pequeno selo em seu pescoço. Ela olhou para mim e sorriu..
Aí, eu fui descendo pelas costas com minhas mãos, e dei um jeito na cintura dela para se virar, espalhei mais um pouco de óleo no seu peito e barriga e ela soltou uns pequenos gemidos, então eu levo meus lábios ate sua barriga, dou uns pequenos selos e vou descendo ate estar com a sua roupa interior a separar meus lábios do seu clítoris, muito suavemente massajei por cima da tanga enquanto beijava o interior das pernas em direcção a um local que tinha ficado bastante húmido de repente.

- Podes tira-las e acaricia-la com tua lingua… - sugere ela, já eu estava a chegar aos seus lábios vaginais.

Lambi e chupei, como um se uma fruta proibida se trata-se. Eu tirava a língua e colocava a outra vez, bem devagarinho. Ela gemia bem devagarinho e com minhas mãos acariciavam seus peitos…
Deixei que ela sentisse o meu amiguinho a crescer, ela já fervia, de tanto desejo.

Subi, pelo seu corpo até meu amiguinho passar bem duro em sua cona molhada, segui com ele até seu peito e aí ela agarra-se a ele com uma convicção de saber o que queria, finalmente tinha soltado a puta que existia dentro de toda aquela timidez inicial.

Que boca quente ela tinha, brincou com meu mastro durante algum tempo, enquanto me olhava com um olhar sedutor, ameaçador, traiçoeiro e misterioso. Viramos de posição, eu sentado na cama e ela senta no meu colo. Foi descendo bem devagar, de modo a sentir cada centímetro a entrar. “Vamos brincar de elevador…” – eu disse, maroto. Quando eu cheguei no fundo, ela gemeu. Continuou rebolando, subindo e descendo.
Suspiramos, gememos, e depois que ela gritou, eu me senti à vontade para gritar também. Aumentei o ritmo. Ela começou a tremer das pernas. Joguei minhas costas para trás e Ela se virou para cima de mim e meteu mais.
Ela gozou. Senti o seu fluxo escorrer. Suas pernas tremiam. Ela parecia até soluçar.
Abraçamo-nos, suados, e ficamos a dar longos e demorados beijos durante horas. E voltamos a repetir novas posições e fantasia ate amanhecer…
Aí ela aurorizou que me vestisse e disse que eu viria embora, mas, que já mais esqueceria aquela noite..

Vou-te seduzir...
Não te adianta fugir pois sabes que te vou encontrar.
Vou-te deixar louca de desejo por mim...
Quero que sintas o meu toque em ti,
Quero que ouças o meu respirar...
Vou-te seduzir ao Luar.
Quero fazer do teu corpo uma tela,
Escrever versos de amor e calor...
Tornar-te mulher no meu mundo sem dor.
Vou-te seduzir... Trazer-te a mim...
Agarrar-te, amar-te... Beijar-te por fim.
Saciar-me nesse corpo feito para amar,
Levar-te ao orgasmo... Levar-te às estrelas...
Fazer-te tremer de loucura e excitação.
Vou-te seduzir...
Não penses que não...
Fecha os olhos...
Usa a imaginação...
Esta noite tens-me a teu lado, na tua cama, nos teus lençois...
Sentes a minha respiração junto à tua orelha, ao mesmo tempo que te vou acariciando?
Sentes os meus dedos a tocarem-te?
Quero sentir essa tua humidade tão quente...
Sentes a minha língua na tua boca, no teu pescoço, nos teus seios?
Vou-te beijar esse sexo rosadinho e húmido, fazer-te gemer...
Anda...
Vou entrar em ti de mansinho.
Abre as pernas e deixa-me beijar-te.
Sentes-me dentro de ti, bem duro para que tremas de paixão!
Sentes?
Sim... Vamos fazer amor loucamente.
Quero-te em brasa, em fogo ardente.
Quero que me sintas.
Sentes o meu tesão por ti?
Quero-te fazer vir... Quero-me vir em ti...
Vá lá.
Esta noite estou aqui para ti.

Mulher merece ser amada..

Toda mulher deve ser amada
No dia-a-dia conquistada
No ser mãe endeusada
Na cama desejada
Na boca beijada
Na alegria multiplicada
No lar compartilhada
No seu dia festejada
Na tristeza consolada
Na queda levantada
Na luta encorajada
No trabalho motivada
No aniversário presenteada
Na alma massageada
Na beleza admirada
Na dificuldade ajudada
No cangote bem cheirada
Na vida abençoada
No mundo inteiro respeitada
E sempre que possível... abraçada.